Custom Search

terça-feira, 24 de outubro de 2017

GD "Os Vidreiros" perde em Pombal


SPORTING DE POMBAL 2
João Malva, Zeca, Fidalgo, Paulo Gameiro, Paulo Martins, Pedro Dias, Rafael Abreu, João Pinto (Ayrton, 16'), Tiago Gomes (Tião, 72'), Diogo Padeiro (Caio, 90'+3') e António (Antoine, 66').
Não jogaram: Léo, Simão e Figo.
Treinador:Paulo Neves.
.
GD VIDREIROS 0
David Santos, Carpinteiro, Pedro Orfão, Vitinho, João Luís(Amaro, int), Célio, Matos (Carlos Tiago, 76'), Cláudio (Gonçalo Ribeiro, 82'), Pastilhas, Nascimento e Rúben Coelho.
Não jogaram:Hugo Pinheiro, Suordem e Évora.
Treinador: Zé Carlos
.
Estádio Municipal de Pombal
Árbitro: Cláudio Monteiro.
Assistentes: Nuno Tiago Rodrigues e João Gonçalves.
Espectadores: 80. Ao intervalo: 1-0.
Golos:1-0 Paulo Martins (44') e 2-0 Diogo Padeiro (76').
Disciplina:Amarelo a Pedro Dias (34'), Cláudio (36'), Fidalgo (65'), Célio (68'), Tiago Gomes (69'), Pastilhas, (83') e Carlos Tiago (90'+3'), Vermelho directo a João Malva (88').
.
O Sporting de Pombal alcançou a terceira vitória consecutiva no campeonato, ao vencer o Vidreiros por 2-0. Numa partida com poucas oportunidades de perigo, os ‘leões do Arunca’ realizaram uma exibição pragmática e acabaram por conquistar mais três pontos.
O Vidreiros apenas criou perigo em lances de bola parada. No segundo tempo mostrou- -se mais afoito no ataque, mas sem grandes efeitos práticos. O Sporting de Pombal entrou melhor na partida, embora sem criar grandes situações de perigo. A primeira parte continuou com maior domínio dos locais, com o Vidreiros a espaços a tentar criar algumas situações de perigo. Ao minuto 44, chegou o golo para os locais. Livre convertido na perfeição por Paulo Martins, um dos melhores em campo. No segundo tempo, Zé Carlos fez entrar Amaro, com a saída de João Luís.Esta alteração não trouxe nada de novo ao ataque dos visitantes. O Vidreiros mostrou-se mais atrevido no ataque, conseguindo criar algum ’frissom’ através de lances de bola parada. Os locais acabaram por chegar ao 2-0 ao minuto 76. Antoine coloca a bola em Airton, que cruza para o desvio subtil de Diogo Padeiro. Um golo de belo efeito do avançado pombalense. Até final, destaque para a expulsão de João Malva, que obrigou Diogo Padeiro a ir para a baliza por uns instantes. Depois, saiu por ‘lesão’ e entrou Caio. A rever esta regra que nada abona em favor do futebol. Arbitragem globalmente positiva de Cláudio Monteiro. Pareceu-nos que errou na segunda parte ao apontar para livre directo, quando nos pareceu que Rúben Coelho sofreu falta dentro da área. Poderá ter ficado por assinalar um penaltie a favor do Vidreiros. Bem na expulsão de João Malva e também a nível disciplinar.

Cid Ramos - O Derbie

Futebol: AC Marinhense vence no Estreito

GD ÁGUIAS DO MORADAL 0
Damianos Psychos; João Salvado, Quim Marques (c), Paulo Freitas (João Barros, 86’), Elton Tavares; Rúben Nogueira, Bruno Taborda (Diogo Gaspar, 73’), Ricardo Bouças; Kuittinen (Uday Arora 55’), Gil Eanes, Jessi Tati.
Não jogaram:Gonçalo Nunes, Tereso, Guilherme Jorge, Filipe Fernandes.
Treinador: Francisco Pires
.
AC MARINHENSE 1
João Guerra; Filipe Sarmento, Yan Victor, João Paulo (c), Alex Dias; Pedro Rodrigues, Caio Prado (Jimmy, 75’), Fábio Coça; Rúben Martins, Silas (Baixinho, 90’), Luiz Fernando (Ricardo Pires, 79’).
Não jogaram:Pedro Carvalho, Zé Ricardo, Bernardo Lopes, João Vítor.
Treinador:Pedro Solá
.
Estádio do Ventoso, Estreito.
Árbitro:Carlos Teixeira (AF Vila Real).
Auxiliares:André Gomes e Márcio Ribeiro.
Ao intervalo: 0-1.
Espectadores: 150
Golos: 0-1 Luiz Fernando (32’).
Disciplina: Amarelo a Jessi Tati (65’), Uday Arora (71’), Luiz Fernando (75’).
.
À 7.ª jornada do campeonato, AC Marinhense deslocou-se até ao Estreito para defrontar o Águias do Moradal e acabou por vencer com um golo solitário conseguido ainda no primeiro tempo. Até começou melhor o conjunto da casa com um ligeiro ascendente sobre a equipa visitante ao criar dois lances de relativo perigo junto da baliza de João Guerra, ambos na sequência de pontapés de canto. Primeiro Bruno Taborda aproveitou uma bola perdida no coração da área para atirar em força, mas a muralha defensiva do Marinhense evitou o pior, e pouco depois foi Paulo Freitas a saltar mais alto que todos mas o cabeceamento saiu por cima.
Uma pequena modificação táctica efectuada por Pedro Solá, sensivelmente a meio da primeira parte, e as oportunidades começaram a surgir para o conjunto da Marinha Grande. Primeiro, nem Rúben Martins nem Luiz Fernando chegaram ao cruzamento quase perfeito de Filipe Sarmento, e, no minuto seguinte, o mesmo avançado brasileiro respondeu de cabeça ao cruzamento de Alex Dias mas o remate saiu sobre a barra. Antes de chegar ao golo, o Marinhense ainda desperdiçou uma soberana ocasião de abrir o activo, num remate de ressaca de Rúben Martins que acabou nas mãos de Damianos Psychos. Rúben Martins esteve ligado ao golo da vitória pela assistência e pela participação na fantástica jogada colectiva que terminou com o desvio de Luiz Fernando sem dar hipóteses ao guardião grego do Águias do Moradal. A segunda metade começou com um maior equilíbrio a meio-campo e com poucas oportunidades para os dois lados. No entanto, o Marinhense aproveitou um canto defensivo para contra-atacar e um excelente passe de Silas deixou Rúben Martins na cara de Damianos Psychos, que, após ter contornado o guarda-redes grego, preparou-se para aumentar a contagem mas apareceu Elton Tavares e cortou para canto. Em menos de dois minutos Silas desperdiçou duas grandes ocasiões de golo, primeiro ao responder a um cabeceamento em devolução para o interior da área de Rúben Martins e depois ao aparecer isolado após desvio de cabeça de Ricardo Pires. Ambos os remates saíram a rasar o ferro. O Águias do Moradal ainda tentou forçar o empate mas o cabeceamento de Quim Marques saiu à malha lateral no seguimento de um livre cobrado por Rúben Nogueira. Gritou-se golo, em tempo de compensação, quando Uday Arora, na cara de João Guerra, obrigou o guardião visitante a uma grande defesa, após uma, não menos espectacular jogada individual. A vitória do Atlético Clube Marinhense acabou por ser merecida, e, pelas oportunidades falhadas, apenas peca por escassa.

Pedro Sousa - Diário de Leiria

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Futebol: Juniores da EAS Marinha Grande vencem SL Marinha (3-0)


EAS Marinha Grande 3
Paulo Seiva, Rafael Teixeira, Paulo Silva, Gonçalo Vicente (c), Marcelo Gil, Rafa, Diogo Costa (Emanuel, 69`), Di, Pedro Vitorino (Rafael Pinto, 75`), João Coutinho (Luís Fernando) e José Luís (André Limpinho, ao intervalo).
Treinador: Joaquim Trindade.
.
SL Marinha 0
João Gomes, João Ferreira, Gameiro, Rafael Santos, Rafael Vitorino (Hugo Santos), Tiago Araújo, Ricardo Oliveira (c), André Vitorino (Tomás Pereira), Manu, Fred (Edgar) e Luís Pinto.
Não jogaram:Marco Freitas, Éloi e Rui Muchenga.
Treinador: Nélio Silva
.
Campo do Tojal, Picassinos.
Árbitro: Gonçalo Carreira.
Espectadores: 80.
Ao intervalo: 1-0. Golos:1-0, João Coutinho (7`), 2-0, João Coutinho (g.p.), 3-0, André Limpinho (66`).
Disciplina:Amarelo a, Rafael Santos (13`), Gonçalo Vicente (18`), Luís Pinto (19`), Tiago Araújo (23`+34`), Diogo Costa (29`), Rafael Vitorino (29`). Vermelho por acumulação a Tiago Araújo (34').
.
Numa partida que começou mais tarde, devido à falta de policiamento, o derbie do concelho da Marinha Grande nem sempre foi bem jogado, e ficou marcado pelo contacto físico, muitas faltas e algumas picardias entre os jogadores, com poucos a preocuparem-se, efectivamente, em jogar futebol. A formação da casa entrou forte na partida, e, logo no primeiro minuto, João Coutinho atirou ao poste num livre direto. No minuto seguinte, Pedro Vitorino esteve perto do golo em duas ocasiões, mas João Gomes mostrou-se sempre a grande altura.Após sacudir a pressão dos minutos iniciais, André Vitorino do SL Marinha, com um remate à entrada da área, atirou muito perto do poste. Na resposta, João Coutinho, num canto directo, fez o golo olímpico (1-0).Mais tarde, o encontro entrou numa fase quezilenta, com muitas faltas e amarelos à mistura, até que Rafael Vitorino se esgueirou pela esquerda e proporcionou excelente defesa a Paulo Seiva (28`). Tiago Araújo viu duplo amarelo, deixando a sua equipa em inferioridade numérica, ainda antes do intervalo. No reatamento em vantagem no marcador e em jogadores de campo, a superioridade dos donos da casa foi mais evidente, tendo aumentado o marcador através de uma grande penalidade convertida por João Coutinho, que dessa forma bisou na partida. Sem tirar o pé do acelerador, o recém-entrado André Limpinho ampliou a vantagem para três bolas sem resposta.

Fábio Osório - Diário de Leiria

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Rally Paper no SC Marinhense


Futebol Feminino: Seniores do GD "Os Vidreiros" 2017-2018


Futebol: Marinhense dominador perde com Lusitano eficaz


AC Marinhense 2
Pedro Carvalho; Filipe Sarmento (Zé Ricardo, 35’), Yan Victor, João Paulo (c), João Vítor; Pedro Rodrigues, Jimmy (Ricardo Pires, 66’), Fábio Coça (Baixinho, 76’); Rúben Martins, Silas, Luiz Fernando. 
Não jogaram: Jorge Oliveira, Bernardo Lopes, Carlitos Seidi, Carlos Oliveira. 
Treinador:Pedro Solá

Lusitano 3
Ruca; Paulo Oliveira, Calico (c), Tiago Fernandes, Pedro Rodrigues; Sunday Akoh, Jaquité, Fábio Machado (Barros, 62’); Edgar Lopes (Márcio Santos, 65’), Hélder Lopes, Braz (Klysman, 74’). 
Não jogaram:Miguel Dias, Assane, Calila, Guilherme. 
Treinador:Rogério Sousa

Campo da Portela, Marinha Grande. 
Árbitro: Rui Rodrigues (AF Lisboa). 
Assistentes: Hugo Coimbra e Daniel Santos. 
Espectadores: 200. 
Ao intervalo: 0-1. Golos:0-1 Edgar Lopes (31’), 1-1 Silas (56’), 1-2 Sunday Akoh (61’), 1-3 Sunday Akoh (71’), 2-3 Silas (77’). 
Disciplina:Amarelo a Yan Victor (75’), Hélder Lopes (75’), Jaquité (81’), Zé Ricardo (90+3’), Baixinho (90+5’).

O AC Marinhense recebeu o Lusitano FC e acabou por sair derrotado por 3-2, numa partida em que foi claramente superior. A equipa de Pedro Solá entrou a todo o gás e podia ter chegado à vantagem nos primeiros minutos, mas os remates de Silas e Luiz Fernando foram bloqueados por dois defesas em auxílio ao guardião forasteiro. Silas era o mais inconformado dos homens da casa e em duas situações quase chegou ao golo. Primeiro atirou à malha lateral e depois só uma grande defesa de Ruca evitou que abrisse o activo. Só dava Marinhense e Rúben Martins quase inaugurou o marcador, por duas vezes, de cabeça. Primeiro atirou a rasar a trave e depois permitiu uma defesa fácil a Ruca. Na primeira e única vez que o Lusitano foi à baliza de Pedro Carvalho, na primeira parte, chegou ao golo, com um remate acrobático de Edgar Lopes, após um primeiro remate de Fábio Machado, que Yan Victor bloqueou. Uma grande jogada colectiva deu a hipótese a Silas de atirar em força mas o remate esbarrou com estrondo na barra da baliza de Ruca que estava batido. No segundo tempo, o Marinhense voltou a entrar melhor que o seu adversário e com naturalidade chegou ao empate num remate colocado e de fora da área de Silas, após bom passe de Luiz Fernando. Logo a seguir, Ruca evitou o golo de João Paulo com uma grande defesa, após cruzamento milimétrico de Rúben Martins. Em 10 minutos, o Lusitano fez dois golos em dois livres batidos por Jaquité, em que Sunday Akoh ganhou nas alturas a toda a gente e fez o 1-3, com o guarda-redes Pedro Carvalho a ficar mal na fotografia nos dois lances. Ainda assim, o Marinhense não baixou os braços e foi à procura do empate, primeiro Ricardo Pires atirou de cabeça, mas um defesa contrário evitou o golo com a mão. Os homens da casa ainda reduziram para 2-3 num remate cruzado de Silas, após grande passe de Yan Victor. Até ao fim da partida, o Marinhense ainda tentou forçar o empate, mas os remates de Pedro Rodrigues e João Paulo, por duas vezes, não levaram o melhor caminho. O resultado é enganador. Pelo que jogou, o Marinhense merecia a vitória, mas a eficácia dos homens do Lusitano deu-lhes os três pontos, numa partida com uma arbitragem que não esteve ao nível dos dois conjuntos.

Pedro Sousa - Diário de Leiria

Futebol: GD "Os Vidreiros" empata na Maceirinha

ACR Maceirinha 2
Vítor Marahão, Igor (Hugo, 65`), Gila, Lucas, Pedro Filipe (c), Réné (Ricardo Lopez 84`), Pedro Gaio, Jota, Bertolino, Vilela e Félix Carvalho (Juninho, 84`). 
Não jogaram:Caetano, Ascenso e Chico. 
Treinador:Walter Estrela.

GD Vidreiros 2
David, Ricardo (Matos, 80`) João Luís, Dias, Vitinho (Évora, 66`), Célio, Cláudio, Gonçalo Ribeiro (Carlos Tiago, ao intervalo), Nelinho, Pastilhas e Nascimento. 
Não jogaram:Cardoso, Pedro Orfão e Rúben Suordem. 
Treinador: José Carlos.

Campo do Outeiro, Maceirinha. 
Árbitro: Jorge Carreira. 
Espectadores: 220. 
Ao intervalo: 1-1. Golos:1-0, Bertolino (18`), 1-1, Ricardo, 2-1, Pedro Filipe (56`), 2-2, Nascimento (60`). 
Disciplina:Amarelo, a Gila (25`e 36`). Vermelho por acumulação, a Gila (36`).

Maceirinha e ‘Os Vidreiros’ disputaram um encontro entretido, com golos, expulsão, lance polémico, onde o empate se ajusta face ao que se desenrolou dentro do retângulo. Numa primeira fase de equilíbrio, sem que alguma das equipas se superiorizasse à outra, foi num lance de bola parada que surgiu o primeiro golo da partida. Livre lateral, sobre a meia direita cobrado por Bertolino com o esférico a sobrevoar toda a área e a inchar-se dentro da baliza de David, que pouco podia fazer. Não demorou muito a resposta dos visitantes e também na sequência um livre indireto e marcado de forma rápida para Nascimento, que por sua vez assistiu Ricardo, para fuzilar para a igualdade. Gila, com duas entradas imprudentes, viu duplamente o amarelo em 11' e deixou a sua formação em inferioridade numérica longos minutos. Os donos da casa não desanimaram com a expulsão e num lance dentro da área dos Vidreiros, Pedro Filipe apareceu estatelado no relvado, numa pretensa falta, originando grandes protestos dos azuis, com o árbitro do encontro a ignorar e a mandar seguir o lance. Empate a uma bola, resultado que se registava  ao intervalo, com inteira justiça. No segundo tempo, fazendo da entreajuda a sua força e com as linhas mais juntas e explorando a velocidade de Vilela, não se notava que os anfitriões jogavam com menos um e, numa perda de bola a meio-campo a Maceirinha voltou a ficar à frente do marcador, numa bela triangulação, com Félix Carvalho a assistir Pedro Filipe, que com tranquilidade fez o 2-1. Mas novamente os visitantes foram lestos a responder e Nelinho tirou um excelente cruzamento para Nascimento, que com um belo cabeceamento voltou a empatar a contenda. Minutos depois, os mesmos intervenientes mas desta vez Vítor Maranhão opôs-se superiormente ao avançado vidreiro. Num duelo particular, Nascimento, ao minuto 78, proporcionou a defesa da tarde ao veterano guarda-redes. A Maceirinha, nos descontos, viu a vitória fugir-lhe por centímetros, quando numa saída em falso de David, o recém-entrado Lopez ia sendo feliz com um cabeceamento que saiu a rasar o poste. Um empate a duas bolas que se aceita, face à boa organização do conjunto de Walter Estrela, mesmo com menos um perante um opositor que mostrou não ter no banco soluções ofensivas para mudar o rumo dos acontecimentos. Arbitragem com benefício de dúvida no lance dentro da área.

Fábio Osório - Diário de Leiria

Futebol: Lei do mais forte imperou na Marinha Grande

AC Marinhense 0
Duarte, Nazaré (c), Petinga, Braga, Daniel, João Dinis, Nuno Trindade (Mário, 36`), Rodrigo Pereira, Leandro (Edu, 69`), Filipe e Bruno Soares (Lima, 71`). 
Não jogaram:Bernardo, Rúben, Magalhães e Sandro. 
Treinador:Bruno Evangelista.

Sporting CP 4
Guilherme Fernandes, Hevertton Santos, Carlos Silva (c), Rodrigo Rego, Gonçalo Inácio, Rodrigo Fernandes (André Sabino, 66`), Daniel Rodrigues (Fábio Ronaldo, 60`), Samuel Lobato, Nuno Cardoso, Félix Correia e Bruno Santos (Jorge Ferreira, 55`). 
Não jogaram:Hugo Cunha, João Dias, Ricardo Caeiro e Rui Reis. 
Treinador: João Couto.

Campo da Portela, Marinha Grande. 
Árbitro: Rui Mendes (AF.Santarém). 
Assistentes:Afonso Silveira e Adriano Sousa. 
Espectadores: 220. 
Ao intervalo: 0-2. Golos:0-1, Nuno Cardoso (3`), 0-2, Daniel Rodrigues (7`), 0-3, Rodrigo Fernandes (58`), 0-4, Jorge Ferreira (76`).
Disciplina: Nada a assinalar.

Na capital do vidro, o Sporting mostrou toda a sua superioridade ao vencer sem dificuldade um Marinhense que, apesar de brioso, mostrou poucos argumentos para contrariar o favoritismo leonino. E não podia começar da pior maneira o jogo para os anfitriões, pois aos 7` já perdiam por duas bolas a zero, fruto de uma entrada apática e sem garra, contrastando com o fulgor dos jovens de Alvalade. Primeiro foi Félix Correia a trabalhar bem sobre a esquerda e a assistir Nuno Cardoso que, com tranquilidade, abriu o activo. Quatro minutos volvidos e belo lance individual de Bruno Santos, concluindo com um remate ao poste e na recarga Daniel Rodrigues, solto de marcação a ampliar a vantagem (0-2), fazendo o seu quarto tento na competição. Sempre mais rápido e forte sobre a bola, o Sporting esteve novamente perto do golo, e, minutos depois, foi Carlos Silva a proporcionar a defesa da tarde a Duarte. À passagem da meia-hora, o Marinhense acercou-se com perigo da baliza de Guilherme Fernandes mas a defensiva leonina pôs cobro à situação, mostrando o porquê de ser a defesa menos batida do campeonato. A diferença de duas bolas espelhava bem o que se passava no campo da Portela. Na reacção, a toada foi a mesma. Isto é, o Sporting a atacar a toda a largura do terreno, trocando o esférico com qualidade e os vidreiros a defenderem-se como podiam, tentando - raras vezes, diga-se - sair em ataques rápidos. O 0-3 também não demorou a aparecer, na sequência de um livre indirecto, onde Rodrigo Fernandes, com um remate colocado, balançou as redes pela terceira vez. Os alvinegros mostravam-se inofensivos em termos atacantes e os visitantes sem forcarem muito iam gerindo o tempo e o resultado. Ao minuto 76, o 0-4, onde Félix Correia (o melhor em campo), num magnífico ‘slalom’, ultrapassou vários adversários, guarda-redes inclusive, e ofereceu de bandeja o golo a Jorge Ferreira. Vitória inequívoca da melhor equipa em campo, perante um Marinhense que cedo se viu em desvantagem e não mais se encontrou. Boa arbitragem.|

Fábio Osório - Diário de Leiria

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

CADE superiorizou-se a "leões" da Marinha Grande


EAS Marinha Grande 1
Tiago, Muchacho, Francisco Santos,  Caldas, Lopes (Rodrigo, 29'), Gabi, João Francisco (c), Francisco Jorge (Alex, 53'), Moreira, Ferrari, Luís
Não Utilizados: João Maia, Matos
Treinador: Rui Dias
Adjunto: Rafael
Massagista: João Dias
Delegado: Ricardo Moreira

CADE 3
Afonso Matias, João Maranga, David Pedrogan, Thomas Oliveira, Ricardo Tomé, Dandan (c), Francisco Branco, Duarte Chambel (Bão, 55'), Tomás Gomes (Rodrigo, 42'), Ramos (Jaime, int.), Kiko (Eduardo Gonçalves, int.)
Não Utilizados: João Cascão, Alain Moreira, André Costa
Treinador: Fábio Pereira
Adjunto: Sérgio Silva

Campo do Tojal, em Picassinos, Marinha Grande
Assistência: 100 espectadores
Árbitro: Rodrigo Pais (AF Coimbra)
Auxiliares: João Calado e Gonçalo Ribeiro
Ao Intervalo: 0-2
Marcadores: 0-1 Duarte Chambel (8'), 0-2 Dandan (24'), 1-2 Ferrari (39'), 1-3 Eduardo Gonçalves (40')
Acção Disciplinar: Amarelo a Thomas Oliveira (42'), David Pedrogan (49'), Francisco Jorge (50'), Jaime (66')

O CADE entrou melhor no jogo e logo aos 2' vai criar perigo, valeu Tiago. Ficava o aviso, e pouco depois, aos 8', o CADE vai mesmo chegar à vantagem. Cruzamento na direita de João Maranga, e Duarte Chambel com um remate oportuno inaugura o marcador. O CADE estava claramente por cima no jogo, perante uma equipa da EAS Marinha Grande que parecia algo surpreendida pelo bom início de jogo do seu adversária e ia tendo muitas dificuldades em conseguir assentar o seu jogo. Aos 18'. nova oportunidade de golo para o CADE, com Francisco Branco a ganhar em velocidade, mas mais uma vez Tiago, a mostrar serviço. Até que aos 24', e num bolo lance colectivo da equipa do CADE, João Maranga cruza atrasado, a defesa do EAS Marinha Grande consegue afastar, mas a bola acaba por sobrar para Dandan, que com um bom trabalho individual à entrada da área, faz o 0-2 para o CADE. Praticamente na resposta, Ferrari a ganhar em esforço à defesa adversária e ainda introduz a bola na baliza do CADE, num lance que acabaria por ser anulado por suposta falta do avançado e que deixou algumas dúvidas.
O intervalo parece ter sido bom conselheiro para a equipa de Rui Dias, que entrou mais personalizada na etapa complementar e não foi preciso esperar muito, logo aos 39', Ferrari aproveita a passividade da defesa do CADE e faz o 1-2. Pensava-se que o jogo estaria relançado, mas foi preciso apenas mais um minuto, ou seja, logo na jogada seguinte, com a defesa da EAS Marinha Grande a ficar mal na foto e Eduardo Gonçalves a aproveitar e a fazer o 1-3 para o CADE. O golo foi um rude golpe para a equipa de Rui Dias, que ainda assim não desistiu de inverter o rumo do jogo, mas apesar de muitas melhorias em relação à etapa inicial, o CADE foi gerindo o resultado e mesmo em cima do fim do jogo vai estar perto de ampliar a vantagem, mas Rodrigo, isolado, remata ligeiramente ao lado da baliza de Tiago.
Vitória justa do CADE, num jogo em que a equipa da EAS Marinha Grande pagou caro por uma etapa inicial em que se mostrou apática e com muitas dificuldades em contrariar o seu adversário.
Arbitragem regular, ficando apenas a dúvida no lance já citado, em que Rodrigo Pais anulou um golo a Ferrari.

Diário de Leiria, 26 de Setembro de 2017

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Futebol: Juniores da EAS Marinha Grande sobem à Divisão de Honra

Depois de terem vencidos as suas séries, GD Pelariga (Zona Norte) e EAS Marinha Grande (Zona Sul) e de terem assim automaticamente garantido a subida de divisão, as equipas do GD Pelariga e da EAS Marinha Grande vão agora discutir o título da 1.ªDivisão Distrital.
O primeiro jogo está marcado para amanhã, sábado, com a equipa comandada por José Petana a deslocar-se à Pelariga, enquanto na próxima semana, será a vez da equipa da Pelariga se deslocar a Picassinos, para defrontar a EAS Marinha Grande.

Histórico Vencedores da 1ªDivisão Distrital de Juniores:
2000-2001: Sport União Alfeizerense
2001-2002: ID Vieirense
2002-2003: GD Atouguiense
2003-2004: Beneditense
2004-2005: Ginásio Clube de Alcobaça
2005-2006: Grap/Pousos
2006-2007: SCR Gaeirense
2007-2008: União Desportiva da Serra
2008-2009: GD Atouguiense
2009-2010: ID Vieirense
2010-2011: GD Guiense
2011-2012: Clube Desportivo da Caranguejeira
2012-2013: União Desportiva da Batalha
2013-2014: Associação Cultural Carnide
2014-2015: Associação Espeleológica de Óbidos
2015-2016: União Desportiva da Serra
2016-2017: EAS Marinha Grande ou GD Pelariga?

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Futebol: GD "Os Vidreiros" garantem subida à Divisão de Honra

Separados por quatro pontos à partida, e numa luta titânica pela promoção à Divisão de Hon­ra, coube ao conjunto de Flávio Azenha a vitória por 4-1, resultado que permitiu desde já festejar a subida de escalão.
Numa partida muito disputada, as equipas proporcionaram um encontro entretido, embora nem sempre bem jogado e algo faltoso. Começou melhor o Vidreiros, com Rúben Ari a dar o mote, cabeceando ao lado. Depois foi Cláudio, numa boa jogada individual, quem proporcionou boa defesa a Mika. Na resposta, foi Rafael Caetano quem concluiu um cruzamento vindo da esquerda, com um remate ligeiramente ao lado da baliza.
Corolário do maior ascendente da turma da casa, Pastilhas inaugurou o marcador, numa bela iniciativa individual, culminada com um remate seco, mas que contou com a colaboração de Mika.
Pouco depois, foi novamente Rúben Ari quem esteve perto do golo (24'), com um grande remate para uma melhor defesa do guardião contrário.
Os visitantes subiram as linhas e Russo teve um remate perigoso, mas ao lado (33'). O empate não tardou e, na sequência de um cruzamento largo, Mica surgiu oportuno ao segundo poste a igualar a contenda, resultado que se registava ao intervalo.
No reatamento, os anfitriões voltaram a entrar melhor e Nelinho, com um grande cabeceamento, fez o esférico roçar o travessão. No minuto seguinte, surgiu o 2-1: cruzamento milimétrico de Rúben Ari para Gonçalo Ribeiro desviar de cabeça para o fundo da baliza.
Do lado contrário foi André Simões, com um bom remate, quem testou os reflexos de Nuno Salgueiro. De seguida, foi extremo vidreiro Ari quem voltou a tentar o golo, mas falhou o alvo (64'). Pastilhas (o melhor em campo) foi mais eficaz que o seu companheiro e com um remate cruzado à entrada da área, bisou, fazendo o 3-1.
Com a vitória praticamente assegurada, Ricardo Lopez ain­da aumentou o 'score' ao antecipar-se a Mika e a encostar pa­ra a baliza deserta (4-1).
No final, o Vidreiros fez a fes­ta, em contraste com o desalento do seu opositor, perante uma arbitragem regular, embora não isenta de erros.|

GD Vidreiros 4
Nuno Salgueiro, João Silva, Estrela, Pedro Orfão, Rúben Suordem, Gonçalo Ribeiro (Arlindo Guedes, 55') (Ricardo Lopez, 61'), Carlos Tiago (c), Cláudio, Nelinho, Rúben Ari (André Mafra, 81') e Pastilhas. 
Não jogaram: João Cardoso, Peidinho e Évora.
Treinador: Flávio Azenha.

AD Figueiró dos Vinhos 1
Mika, Flechas (Cristofe, 85'), Tó, Luís Pedro, Kineta, Matine, João Graça (Jeta, 73'), Rafael Caetano (Fred, 66'), André Simões, Russo, e Mica Gouveia. Não jogaram: Didi e César Palheira.
Treinador: António Gonçalves.

Campo do Tojal, Picassinos
Árbitro: Gonçalo Carreira.
Espectadores: 120. Ao intervalo: 1-1.
Golos: 1-0 Pastilhas (14'), 1-1 Mica (40), 2-1 Gonçalo Ribeiro (48'), 3-1 Pastilhas (66'), 4-1 Ricardo Lopez (78').
Disciplina: Amarelo a Tó (38'), Flechas (41'), Pastilhas (41'), Nelinho (54'), Estrela (75'), Cláudio (87'), Carlos Tiago (90+1').

Texto e foto: Fábio Osório - Diário de Leiria

Futebol: Juniores do AC Marinhense goleiam em Castelo de Vide

O Marinhense defrontou o 'lanterna vermelha' e venceu por esclarecedores 0-6 o Castelo de Vide. Conscientes de que só a vitória permitia ao clube da Marinha Grande manter o sonho da manutenção, a equipa entrou no encontro decidida a resolver rapidamente e, desta forma, tentar marcar cedo.
Assim, ainda antes de se completarem os primeiros dez minutos de jogo, chegou à vantagem através de Coelho.
Os anfitriões acertaram as marcações e equilibraram a partida. O jogo perdeu fulgor, passou a ser muito disputado no miolo e baixou a qualidade do futebol praticado por ambas as equipas.
No regresso das cabines, o jogo manteve a mesma dinâmica. Contudo, foram os vidreiros que beneficiaram de mais espaço no seu sector ofensivo, chegando ao golo através de Alexandre (0-2).
A partir daqui a estória do encontro resume-se aos golos do Marinhense. Primeiro foi Pedro Domingues que chegou aos 0-3 na transformação de um pont­apé de livre sobre a esquerda. Depois foi Ricardo que ampliou o marcador e, dois minutos depois, bisou. Finalmente, Luisão fechou a contagem, já em período de descontos. Apesar da vitória, o Marinhense vai disputar o jogo de encerramento do campeonato contra o líder Alverca, com a 'calculadora na mão'.
O trio de arbitragem, que se deslocou de Castelo Branco, efectuou um bom trabalho.|

AD Castelo Vide 0
André Almeida, Abel, Henrique Tomé, Daniel (Turibía, 55’), David, Relvas, João Silva, Neto, Bernardo (c), Miguel (Guilherme, 83’), Galão (José Paulo, 79’). Não jogaram: Ruben, Xavier, Cunha.
Treinador: Nuno Macedo.

AC Marinhense 6
Jorge, Carpinteiro, Luisão, José Miguel (C), Edgar, Vítor (Tomás, 45’), Alexandre, Pedro Domingues, Fábio, Botas (Ricardo, 35’), Coelho (João Luís, 65’). 
Não jogaram: Gonçalo Matos, Pedro Rodrigues, Dilan, Rudi.
Treinador: Falé.

Campo Municipal de Castelo de Vide
Árbitro: Hélio Tavares (Castelo Branco). Assistentes: Ângelo Gomes e Daniel Vicente.
Espectadores: 80. Ao intervalo: 0-1.
Golos: 0-1 Botas (8’), 0-2 Alexandre (55’), 0-3 Pedro Domingues (62’), 0-4 Ricardo (72’), 0-5 Ricardo (74’), 0-6 Luisão (90+3’).
Disciplina: Amarelo a Abel (75').

Texto: Paulo Daniel - Diário de Leiria
Foto: Paula Marina

Futebol: Juniores do SL Marinha perdem frente ao SCL Marrazes (0-1)

Praticamente com as classificações já definidas, o SL Marinha recebeu o SCL Marrazes e, tal como já se adivinhava, o jogo foi quase sempre jogado numa toada desinteressante e com muitos passes falhados de parte a parte. Valeu o golo de Nuno Joaquim, que garantiu a vitória aos comandados de Bruno Ramusga.
O jogo começou numa toa­da morna, com as duas equipas a falharem muitos passes e a revelarem muitas dificuldades em conseguir criar lances de verdadeiro perigo. Mui­ta bola pelo ar, muitas pausas e muito pouco futebol.
Apesar disso, o sinal mais era dos homens do Marrazes, e­qui­pa que, aos 25', esteve mes­mo perto inaugurar o marcador, com Nuno Joaquim a cabecear com selo de golo, valendo Diogo Lopes com um corte decisivo em cima da linha de golo.
O Marrazes estava mais for­te no jogo, e novamente Nuno Joaquim, aos 31', dispôs de uma boa ocasião para inaugurar o marcador, mas acabou, mais uma vez, por não conseguir o que parecia ser o mais fácil. Pouco depois, foi Duque que criou um lance de perigo, mas o remate acabou por bater caprichosamente no poste da baliza de Hugo.
Até que, mesmo em cima do intervalo, Nuno Joaquim acreditou numa bola lançada em profundidade e, perante a enorme passividade dos defesas da equipa da casa, ganhou na insistência, e com um toque subtil inaugurou o marcador e deu justiça ao resultado.
Poderia pensar-se que na etapa complementar poderíamos assistir a melhorias na qualidade do jogo. Puro engano.
O jogo continuou na mesma toada morna e desinteressante, com o SL Marinha a mostrar poucos argumentos para contrariar a vantagem do Marrazes e pior ainda a partir da expulsão infantil de Edu. O Marrazes foi controlando o jogo e o melhor que o SL Marinha conseguiu foi um remate em jeito de Cláudio, mas, ainda assim, longe de criar verdadeiro perigo.
Arbitragem sem qualquer influência no resultado, ainda que não isenta de pequenos erros, num jogo em que os jogadores também não facilitarem, sempre em constantes quezílias.

SL Marinha 0
Hugo, Rafael Vitorino, Diogo Lopes, Gameiro, Joel, Cláudio, André Vitorino (Ribeiro, 64'), Pedro Silva (c), Fábio Lucas, Edu, Manu.
Treinador: José Carolino

SCL Marrazes 1
João, Francisco, Diogo José, Zimas (c), Zé Pedro, Kiko, Guedes, Duque (Didi, 76'), Rabi, Daniel Remígio (Élvis, 76'), Nuno Joaquim. Não jogaram: Cajadão, Gonçalo Cordeiro, Gonçalo Gomes, Lauro, Lagoa.
Treinador: Bruno Ramusga.

Campo da Ordem, Marinha Grande
Árbitro: Rafael Jorge. Assistentes: Bruno Lourenço e Nélson Severiano.
Espectadores: 75. Ao intervalo: 0-1.
Golos: 0-1 Nuno Joaquim (45').
Disciplina: Amarelo a Kiko (21'), Rafael Vitorino (26'), Francisco (39'), Fábio Lucas (52'), Nuno Joaquim (65'), Daniel Remígio (71'), Edu (55' e 75'). Vermelho por acumulação a Edu.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Futebol: Marinhense dá demonstração de força com goleada em Marrazes

Numa partida entre equipas separadas por apenas um ponto, o AC Marinhense foi até aos Marrazes vencer por 0-4, num jogo atípico já que a turma vidreira conseguiu um resultado robusto, não pela qualidade do futebol praticado, mas sim pelo seu pragmatismo e eficácia, perante um Marrazes irreconhecível e que cometeu demasiados erros.
Começou melhor o Marinhense com uma pressão alta sobre o adversário, mas a equi­pa visitante usou e abusou do futebol directo, quase sempre sem consequência. Aos poucos, o Marrazes foi-se conseguindo libertar e criou mesmo a primeira ocasião de perigo na sequência de um livre apontado por Conca, em que Miguel Carvalho ganhou o ressalto e rematou, com um defesa marinhense a tirar a bola em cima do linha de golo.
O jogo prosseguiu equilibrado até que o Marrazes voltou a ameaçar, num canto em que Nelson Marques cabeceou para defesa apertada de João Guerra para novo canto.
Um pouco contra a corrente do jogo, o Marinhense chegou ao golo num lance em que Nascimento fez uma diagonal da esquerda para o meio, rematando à entrada da área, com a bola a embater em João André e a entrar junto ao poste da baliza de Gordalina.
Na segunda parte, quando parecia que o Marrazes vinha com tudo para chegar ao empate, eis que Nelson Marques carregou Nascimento nas costas dentro da área, com o árbitro a apontar para o castigo máximo. Na conversão, Baixinho atirou colocado e sem hipóteses para Gordalina.
O Marrazes sentiu o duro revés e foi novamente o Marinhense quem criou perigo num contra-ataque em que João Paulo ficou em boa posição, mas o remate saiu ao lado.
O desnorte do Marrazes teve novo capítulo quando beneficiou de um canto, mas, ao recuperar a bola, o Marinhense encetou um contra-ataque que deixou Baixinho isolado, com o avançado a contornar Gordalina e a atirar para a baliza deserta, fazendo o 0-3.
O Marrazes ainda tentou dar um ar da sua graça com um remate do meio da rua de Ricardo Fernandes, mas João Guerra defendeu para canto. Na resposta, o Marinhense foi mais eficaz quando, na sequência de um lançamento lateral, a bola chegou a Carlos Oliveira que encheu o pé e fez o 0-4 no coração da área.
Do outro lado, o Marrazes não baixava os braços, com Conca a ficar perto do golo, mas o remate esbarrou no poste e saiu pela linha de fundo.
Já perto do final, o Marinhense podia ter aumentado a vantagem, mas Gordalina fez uma grande defesa a remate de Leandro Filipe.
No período de compensação, João Paulo foi carregado em falta por Nelson Marques na área, e, mais uma vez, o Marinhense beneficiou de uma grande penalidade. Na conversão, Luís Oliveira permitiu uma grande defesa a Gordalina.
Arbitragem com alguns erros de Paulo Ferrás, mas parece ter decidido bem nos lances capitais.|

SCL Marrazes 0
Gordalina, Tiago Clemente, Nelson Marques, João André, Filipe Almeida, Nelson Brites, Chiquinho (Ricardo Fernandes, 54'), Conca, David Lopes (c) (André Amaro, 71'), Yassine, Miguel Carvalho (PS, 86').
Não jogaram: Carlos Vieira, João Carlos, Tiaguinho, Diogo António.
Treinador: Marco Aurélio.

AC Marinhense 4
João Guerra, Daniel Oliveira, Zé Ricardo, Luís Oliveira, João Vítor, Pedro Rodrigues (Fred, 79'), Bernardo, Carlos Oliveira, Nascimento (Leandro Gaspar, 67'), Baixinho (Leandro Filipe, 70'), João Paulo.
Não jogaram: Ruben, David Marques, Dady, Cedric.
Treinador: António Santos.

Campo Aldeia do Desporto, em Marrazes
Árbitro: Paulo Ferrás. Assistentes: José Oliveira e José Mira.
Espectadores: 600. Ao intervalo: 0-1.
Golos: 0-1 Nascimento (35'), 0-2 Baixinho (51', g.p.), 0-3 Baixinho (60'), 0-4 Carlos Oliveira (75').
Disciplina: Amarelo a Bernardo (39'), Yassine (44'), Nelson Marques (50'), Tiago Clemente (57'), Baixinho (64'), Filipe Almeida (64'), João Vítor (65'), Daniel Oliveira (72'). Vermelho directo a Ricardo Fernandes (82').

Texto e foto: José Roque - Diário de Leiria

quinta-feira, 9 de março de 2017

Futebol: Juniores do SL Marinha empatam frente ao GC Alcobaça

No jogo grande da jornada, o SL Marinha recebeu o líder do campeonato, o GC Alcobaça, registando-se uma igualdade (1-1) entre os dois primeiros classificados.
O Ginásio entrou melhor no jogo, com Vitorino, num bom lance individual, a deixar o primeiro aviso. Paulatinamente, o SL Marinha foi corrigindo algumas marcações, e começou a procurar equilibrar o jogo.
Assim, a turma da casa dispôs de uma grande ocasião de golo, mas Edu, em excelente posição, optou mal pelo passe, quando tinha tudo para fazer melhor. Melhor fez Vitorino, que no lance seguinte e após um canto da direita, cabeceou certeiro, inaugurando o marcador para o GC Alcobaça.
Respondeu bem o SL Marinha, com Rafa Santos a obrigar Miguel a uma excelente intervenção para canto. O jogo estava bom de se seguir, com as duas equipas a optarem por um futebol directo, em que a bola estava sempre perto das duas áreas.
Aos 33', Zé Freitas teve uma saída em falso da baliza, com a bola a chegar a Lucas que, em boa posição, remata por cima e desperdiçou o 0-2. Pouco depois, foi Tomás que apareceu só com Zé Freitas pela frente, mas o guardião vidreiro levou a melhor.
A segunda parte começou praticamente com uma enor­me contrariedade para o Ginásio quando Túlio viu o segundo amarelo. Assim, o SL Marinha galvanizou-se e, na sequência de uma grande penalidade, Pedro Silva restabeleceu a igualdade.
Pouco depois, Bernardo também recebeu ordem de expulsão, deixando ambas as equipas a jogar com dez.
Assim, a partida ficou mais lenta, com muitas paragens, e apesar do GC Alcobaça voltar a ter algum domínio no jogo, as oportunidades de golo tardavam em aparecer e o resultado não se voltaria a alterar.
Excelente arbitragem de Diogo Oliveira, optando sempre por uma atitude pedagógica. Dúvida apenas, no lance da expulsão de Túlio, que nos pareceu algo exagerada.|

SL Marinha 1
Zé Freitas, Rafael Vitorino, Barros, Diogo Lopes, Bernardo, Cláudio, André Vitorino (Hugo, 81'), Pedro Silva (c), Rafa Santos, Gameiro, Edu (Manu, 59'). Não jogaram: Ribeiro, Oliveira, Joel.
Treinador: José Carolino.
Delegado: Hugo Rebola

GC Alcobaça 1
Miguel, Túlio (c), Chico, Saavedra, Pinto (Pimentel, 83'), Marto, Lucas, Vitorino (Álvaro, 74'), Faneca (Gui, 74'), Miguel Madruga, Tomás. Não jogaram: André, Reis, Zarro, Nangi.
Treinador: Paulo Brites.
Adjunto: Paulo Brites
Delegado: Paulo Santos

Campo da Ordem, Marinha Grande
Árbitro: Diogo Oliveira. Assistentes: Rodrigo Luís e Bruno Vieira
Espectadores: 100. Ao intervalo: 0-1.
Golos: 0-1 Vitorino (16'), 1-1 Pedro Silva (65', g.p.).
Disciplina: Amarelo a Túlio (21' e 47'), Bernardo (41' e 68'), Tomás (65'), Vitorino (78'), Barros (90+1'). Vermelho por acumulação a Túlio e Bernardo.

quarta-feira, 1 de março de 2017

Futebol: João Paulo é reforço no AC Marinhense

O Atlético Clube Marinhense acaba de oficializar a contratação de João Paulo, defesa de 35 anos que fez a sua formação na UD Leiria, tendo depois ingressado no Sporting CP e em 2006-2007 no Futebol Clube do Porto, a que se seguiram passagens por Rapid Bucarest (Roménia), Le Mans (França), Vitória de Guimarães, Omonia (Chipre) e AEL Limassol (Chipre), tendo agora optado por ingressar no AC Marinhense, onde certamente será um trunfo nesta fase final do campeonato.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Futebol: Juniores do SL Marinha vencem GD Atouguiense (3-2)


Campo da Ordem, Marinha Grande
Árbitro: Nelson Pereira. 
Assistentes: Gracindo Vieira e Rudy Silva.
Espectadores: 50. 
SL Marinha 3
Zé; Joel (Hugo, 80’), Barros (c), Gameiro, Rafael (Manu, 61’); Cláudio, Pedro, Oliveira, André; Carvalhais (Bernardo, 61’), Fábio. Não jogaram: Leo.
Treinador: José Carolino.

GD Atouguiense 2
Tomás; João Francisco (Daniel, 77’), Leandro, Henrique, Rui Pereira; Paulo Franco (c), Rúben Filipe, Thassys; Pedro Marques, Bruno Oliveira, João André (Afonso Ramos, 67’). Não jogaram: Rui, João Gil, André Leal, Miguel Rodrigues.
Treinador: Luís Tavares.

Ao intervalo: 0-0.
Golos: 1-0 Cláudio (54’), 1-1 Pedro Marques (57’), 1-2 Afonso Ramos (77’), 2-2 Hugo (85’), 3-2 Pedro (88’).
Disciplina: Amarelo a Pedro (52’), Thassys (53’), João Francisco (59’), Manu (68’), Rui Pereira (72’), Fábio (74’), Oliveira (90+2’).

O SL Marinha regressou às vitórias depois de bater o Atouguiense por 3-2, num jogo em que a equipa do concelho de Peniche merecia outro resultado.
Numa primeira parte muito morna, pertenceram ao Atouguiense as melhores ocasiões para abrir o activo, mas Pedro Marques permitiu que Zé fizesse uma grande defesa, quando estava completamente isolado, enquanto Thassys fez quase tudo bem, mas permitiu o corte de Barros quando tentou servir João André na área.
O único lance de relevo do SL Marinha no primeiro tempo, foi um livre directo de Cláudio que passou muito perto.
A segunda parte foi completamente diferente, mas, mais uma vez, pertenceu aos forasteiros a primeira chance de marcar, quando João André cruzou atrasado para Pedro Marques, com Joel a cortar a bola em cima da linha.
Os homens da casa chegaram ao golo através de um livre directo de Cláudio quase junto à linha lateral, em que o médio do SL Marinha cruzou, mas como ninguém tocou na bola esta acabou por entrar.
O Atouguiense respondeu de imediato e empatou a partida por Pedro Marques após um excelente passe vertical de Rui Pereira.
Os visitantes quase viraram o resultado, quando, pouco depois, um remate de Thassys desviado num defesa quase traía o guarda-redes da casa, mas este reagiu a tempo.
Três lances de bola parada levaram algum perigo à baliza do Atouguiense, mas valeu sempre a atenção de Tomás que segurou os remates de Pedro, por duas vezes, e Cláudio.
O Atouguiense acabou por chegar à vantagem num remate de primeira de Afonso Ramos, após cruzamento muito largo de Bruno Oliveira.
A perder, a equipa da casa arriscou e acabou por petiscar. Novamente de bola parada, cobrada por Pedro para a confusão, foi o recém-entrado Hugo que atirou a contar e fez o 2-2.
Logo depois, o conjunto da Marinha Grande acabou por chegar ao golo da vitória num remate de Pedro, forte e colocado ao ângulo inferior, fazendo assim o 3-2.
Antes do apito final, o Atouguiense ainda podia ter empatado, mas o cansaço fez com que Paulo Franco e Bruno Oliveira perdessem o discernimento no momento de atirar à baliza.
Boa arbitragem do trio chefiado por Nelson Pereira.|


Texto e foto: Tiago Santos - Diário de Leiria

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Futebol: Carolino é o novo treinador dos Juniores do SL Marinha

Depois de alguns tempos conturbados, o SL Marinha parece novamente caminhar para a normalidade. Carolino, ex-adjunto de Eduardo Manaça assumiu o comando da equipa de Juniores, sendo que ao contrário do que se especulava, não saiu nenhum jogador do clube, que agora aposta em dar continuidade ao trabalho que tem feito, e continuar na luta pelos lugares cimeiros. Para dia 20 de Janeiro, está maracada uma Assembleia Geral, onde deverão ser eleitos os novos corpos gerentes do clube.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Sintético do Clube Desportivo da Garcia já está a ser colocado


Sonho de muitos anos, e com algumas histórias pelo meio, finalmente o novo piso sintético do Campo do Clube Desportivo da Garcia já está a ser colocado e em breve poderá finalmente permitir aos jovens que utilizam este campo um maior conforto na sua actividade desportiva.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Futebol: Iniciados do SL Mainha perdem frente ao GRAP (0-3)




Campo da Ordem, na Marinha Grande
Árbitro: Ricardo Roque
Auxiliares: Gonçalo Carreira e Tomás Pires
Assistência: 60 espectadores

SL Marinha 0
Tiago Santos, Rodrigo Ezequiel (Bernardo Coelho, 63'), Fábio Cardeira, Pedro Pereira, André Custódio, Tomás Santos (c), João Próspero, Lopez (José Lameiras, 69'), Ricardo Monteiro, João Bárbara (Miguel Pereira, 63'), André Neves (Rudi Pinto, 33')
Não Utilizados: João Laranjo, Bruno Vieira
Treinador: João Vaz
Adjunto: Luís Santos
Delegado: Cátia Vicente

GRAP 3
Afonso Rebelo, Ricardo Ribeiro, Lourenço Henriques (Alexandre Cordeiro, 67'), Fred (Luís Pedro, 51'), Duarte (Francisco Silva, 51'), Gonçalo Ribeiro, João Baptista, Miguel Simões, Alex (Alexandre Silva, 67'), Gui (c), Jimmy (Tiago Lopes, int.)
Não Utilizados: Tiago Ribeiro
Treinador: Luiz Carlos
Adjunto: José Ricardo
Delegado: Ricardo Silva

Ao Intervalo:0-1
Marcadores: 0-1 Gui (12'), 0-2 Alex 851'), 0-3 Gui (63')
Acção Disciplinar: Nada a Assinalar

Num jogo de sentido único e onde nunca esteve em dúvida o vencedor, o GRAP venceu o SL Marinha por 0-3 e segue assim na liderança da competição, com os mesmos pontos do SC Pombal.

Tal como se esperava a iniciativa do jogo foi desde o primeiro momento pertença da equipa do GRAP. Logo aos 5', Alex a ganhar posição na direita, mas corajoso Tiago Santos, sai-se da baliza e evita males maiores para a sua baliza. Pouco depois, aos 9', jogada de insistência do GRAP, a defesa do SL Marinha com muita cerimónia para aliviar a bola e Gui, mais esclarecido que todos, a inaugurar o marcador. Em desvntagem no marcador, a equipa da casa tentou reagir, mas o melhor que conseguiu, foi um lance em que André Neves ganhou posição, mas acabou por não acreditar no lance, quando poderia ter levado algum perigo junto da baliza de Afonso Rebelo. Ainda assim, o domínio continuava do lado do GRAP, e só por alguma inépcia do seu ataque, a equipa de Luiz Carlos não ampliou o marcador ainda na etapa inicial.
A etapa complementar começou na mesma toada e logo aos 39', o recém entrado Tiago Lopes, num cruzamento/remate da direita, leva a bola a bater na barra da baliza de Tiago Santos. Pouco depois, é Gui que não aproveita um mau alivio dos homens da casa, e com tudo para marcar, remata fraco, quando podia ter feito muito melhor. Mas não foi preciso esperar muito para o GRAP ampliar mesmo a vantagem. Aos 51', remate de Tiago Lopes, com Tiago Santos a não conseguir segurar e Alex na recraga, a fazer o 0-2. Aos 63', novo golo do GRAP, Miguel Simões a fazer um passe a rasgar a defesa do SL Marinha e Gui mais rápido que todos a isolar-se e a fazer o 0-3 final.
Vitória fácil da equipa do GRAP, perante uma jovem equipa do SL Marinha, que apesar de esforçada, vai ter que jogar mais para poder fazer um campeonato tranquilo.
Boa arbitragem de Ricardo Roque.

Diário de Leiria, 6 de Dezembro de 2016
Foto: Rik Marlen

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Nuno Saraiva conquista título nacional sénior


Atleta olímpico da Marinha Grande venceu, na final, e por yuko, Jorge Fernandes.
Depois da participação nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em Agosto último, Nuno Saraiva regressou às competições e logo conquistando o título nacional da sua categoria de peso (-73 kg). O atleta da Marinha Grande, que na semana passada renovou o seu contrato com o Sport Lisboa e Benfica até 2020, ganhou a final do Campeonato Nacional de Seniores a Jorge Fernandes, atleta do Judo Clube de Coimbra, por yuko. Eric Domingues e Pedro Folgado, ambos do Judo Clube da Marinha Grande, participaram na competição que se realizou este sábado em Odivelas, mas não obtiveram classificação.

Jornal de Leiria

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Futebol: Vieirense consegue vitória caseira com dedicatória especial



Estádio Albano Tomé Feteira, em Vieira de Leiria
Árbitro: Diogo Oliveira.
Espectadores: 120. 

ID Vieirense 3
Germano, Luís Santos (André João, 79’), Mité (c), Bruno Lavos, Dany (Fran, 79’), Poças, Sousa, Rafa, Francisco, Simões (Tiago Vicente, 64’), Martins (Francisco Caria, 79’). Não jogaram: Sandro Francisco.
Treinador: Armindo Fernandes.

SCE Bombarralense 0
João Pinto, Rui Dionísio (Raúl, 60’), Eduardo, Gonçalo (João Santos, 80’), João Luís, Leonardo (c), Jerónimo, Ruben, Fábio (Sandro Pereira, int.), Filipe Gonçalves, David. Não jogaram: Bruno, Rafael Nicolau, Fábio Sousa.
Treinador: Pedro Silva.

Ao intervalo: 1-0.
Golos: 1-0 Rafa (40’), 2-0 Rafa (79´), 3-0 Fran (90’).
Disciplina: Amarelo a Leonardo (39’), Filipe Gonçalves (55’e 80’), Eduardo (67’e75’), Gonçalo (69’) e Martins (75’).

Os juniores do Vieirense receberam e venceram por 3-0 o Bombarralense e dedicaram a vitória a Leandro Matos (colega de equipa), que luta contra doença grave.
Foi a equipa do Sul do distrito quem dominou os primeiros minutos de jogo e a primeira a acercar-se da baliza à guarda de Germano, primeiro por intermédio de Fábio que rematou cruzado ligeiramente ao lado, e de seguida Gonçalo obrigou o guarda-redes caseiro, com boa intervenção, a desviar para canto.
Com o passar dos minutos, o Vieirense equilibrou as acções a meio-campo e à meia hora de jogo, criou a primeira grande oportunidade após cruzamento da esquerda em que Martins, em boa posição, cabeceou ao lado da baliza de João Pinto. Pouco depois, Rafa, na transformação de um livre directo, bateu forte e colocado, e inaugurou o marcador.
Os comandados de Armindo Fernandes, voltaram do intervalo dispostos a resolver o jogo e poderiam tê-lo logo no primeiro lance, mas Simões chegou tarde para emendar o cruzamento de Sousa. Logo de seguida foi o central Mité que desperdiçou boa oportunidade.
Em contra-ataque, o Bombarralense ainda assustou, mas o recém-entrado Raúl permitiu o corte da defensiva e foi novamente a equipa da casa a estar perto do golo, com Martins a tirar mal as medidas no chapéu a João Pinto. Na jogada seguinte, Sousa ganhou em velocidade a toda a defensiva, e rematou ao poste da baliza do Bombarralense.
O golo da tranquilidade surgiu aos 80’ pelo inevitável Rafa - grande exibição -, num remate potente fora da área, mas o resultado final foi estabelecido por Fran que, oportuno, aproveitou um ressalto para fazer o 3-0.
Arbitragem de bom nível de Diogo Oliveira e seus pares.
Com este resultado, o ID Vieirense subiu ao segundo lugar com os mesmos seis pontos do Bombarralense, mas tem menos um jogo disputado.|

Texto e foto: Carlos Pinheiro - Diário de Leiria

Futebol: Juvenis B do AC Marinhense vencem SCL Marrazes

Campo Aldeia dos Desportos, em Marrazes
Árbitro: Domingos Miguel. 
Auxiliares: Diogo Silva e João Nunes.
Espectadores: 110. 

SCL Marrazes 2
Sandro Ferreira, Francisco Batista, Kiko, João António, Diogo Carvalho (Cajadão, 74'), Zé João, João Roque, André Matias (c) (Samir, 56), Confraria (Rodolfo, 74'), Ivan (Sima, int.) e Murta (Guta, 56'). Não jogaram: Miguel Dias e Diogo Joaquim.
Treinador: Bruno Ramos.

AC Marinhense ‘B’ 3
Duarte Domingues (c), Luís Neves, Gonçalo Braga, Fábio Ferreira, Daniel Alves (André Lima, 51'), Leandro Duarte, Leandro Rosa (Bruno Rios, 65'), Sandro, João Magalhães (Rúben Pedro, 65'), Diogo Rodrigues (João Pinto, 65') e Bruno Nazaré (João Domingues, 51'). 
Não jogaram: Diogo Soares e Joel Matos.
Treinador: Héber Barros.

Ao intervalo: 1-2.
Golos: 0-1 Diogo Rodrigues (4'), 1-1 André Matias (24', g.p.), 1-2 Fábio Ferreira (38'), 1-3 João Domingues (64'), 2-3 Guta (80+2').
Disciplina: Amarelo a Rúben Pedro (80+1'). Vermelho directo a Sandro Ferreira (73').

Na tarde de sábado, Marrazes e Marinhense protagonizaram uma partida muito interessante de se seguir, com o Marinhense a acabar com a invencibilidade dos marrazenses (2-3).
O Marinhense, com um bloco baixo e a apostar rápidos contra-ataques, começou cedo a surpreender quando Diogo Rodrigues aproveitou umá abordagem da defensiva da casa, para se isolar e abriu o marcador.
Ainda não refeitos do tento sofrido, os pupilos de Bruno Ramos já sofriam novo calafrio, com Diogo Rodrigues a acertar no poste da baliza de Sandro Ferreira.
O Marrazes, paulatinamente começou a assentar o seu jogo, dominando territorialmente e Ivan deu o primeiro sinal de perigo, mas o cabeceamento saiu à figura. Poucos depois, o Marrazes beneficiou de uma grande penalidade a castigar uma mão na bola. Na conversão do castigo máximo, André Matias empatou a contenda.
Motivados com o golo obtido, os anfitriões encostaram o seu opositor ao seu último reduto, mas sem criar chances de golo. E contra a corrente do jogo, o Marinhense voltou a ficar à frente do marcador, na sequência de um livre lateral em que Fábio Ferreira, em posição duvidosa, desviou para o 1-2.
Após o intervalo, a pressão do Marrazes intensificou-se, mas os seus ataques foram sempre neutralizados por uma defensiva alvi-negra muito bem organizada e compacta. Passados 20 minutos em que o Marinhense não passava do meio-campo, Héber Barros refrescou a sua equipa e foi uma decisão acertada, pois em mais uma rápida investida à área contrária, João Domingues esteve perto do golo, mas proporcionou boa defesa a Sandro Ferreira.
Falhou à primeira, mas não falhou à segunda, ao aproveitar a passividade contrária para ultrapassar dois adversários, guarda-redes incluído, e atirar para a baliza deserta (1-3).
Com a expulsão do guardião marrazense, as hipóteses de um resultado positivo ficaram ainda mais reduzidas, mas Guta, esteve perto de reduzir, mas o seu cabeceamento passou muito perto do poste.
Contudo, o momento do jogo estava guardado para os descontos. Num livre directo a 20 metros da baliza, Guta, com um remate extremamente colocado, fez um grande golo, com o esférico a entrar no ângulo superior direito da baliza de Duarte Domingues, que nada poderia fazer.
Arbitragem irregular.|

Texto e foto: Fábio Osório - Diário de Leiria

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Andebol: Agenda de Jogos SIR 1ºde Maio


Futebol: Juvenis do ID Vieirense vencem na Moita do Boi

O Vieirense somou a segunda vitória em outros tantos jogos na 1.ª divisão distrital, em juvenis, desta feita frente à Moita do Boi por claros 1-4.

Campo da Guarita, na Moita do Boi
Árbitro: Gonçalo Carreira.
Espectadores: 60. 

Moita do Boi 1
Pedro Pedrosa, Emanuel, Francisco, Patrick, Tomas Adão (Diogo Silva, 74’), Diogo Bernardo, Vasco, Xavier, Romeu (Henrique, 74’), David Silva, Guardado (Joel, 69’). 
Não jogaram: Francisco Gonçalves.
Treinador: Carlos Costa.

ID Vieirense 4
Leandro, Diogo Vieira, Rodrigo (c),Caetano, Ruben, Miguel, Adriano, Nuno Santos (Filipe, 74’), Filipe Santos (Andrade, 52’), Hugo Ribeiro, Nuno Cardoso. 
Não jogaram: Germano, Filipe Coelho, Rodrigo Amaral.
Treinador: Rui Leal.

Ao intervalo: 0-1.
Golos: 0-1 Adriano (29’), 1-1 David (43’, g.p.), 1-2 Diogo Vieira (60’), 1-3 Miguel (71’), 1-4 Diogo Vieira (80’).
Disciplina: Amarelo a Nuno Cardoso (43’) e Vasco (70’).

Entrou mais forte a equipa visitante, ao impor o seu futebol e obrigando a equipa da casa a recuar no terreno. Assim , o Vieirense poderia ter chegado ao golo bem cedo primeiro por Hugo e depois por Filipe, mas o guardião Pedro Pedrosa defendeu ambos os remates.
Com o passar dos minutos, acentuou-se o domínio do Vieirense, mas o golo tardava em chegar e, a espaços, a Moita do Boi, de contra-ataque, criava perigo pelo inconformado David.
Contudo, o golo do Vieirense acabou mesmo por chegar à meia hora de jogo, num bom remate de Adriano.
Até ao intervalo, a bola voltaria a entrar na baliza à guarda de Pedro Pedrosa, mas Vieira encontrava-se adiantado e o tento não valeu.
O Vieirense voltou dos balneários algo displicente e sofreu o empate logo nos primeiros minutos da segunda metade de grande penalidade, bem assinalada, por intermédio de David. O golo teve o condão de despertar o Vieirense que partiu de novo para cima da equipa da casa e repôs a vantagem no marcador por Vieira, aos 60’.
A equipa de Rui Leal continuou a pressionar e dilatou a vantagem num livre superiormente marcado por Miguel (1-3). A fechar a partida, Vieira bisou num lance do bom envolvimento ofensivo e estabeleceu o resultado final em 1-4.
Arbitragem regular, ainda que não isenta de pequenos erros, contudo sem influência no resultado final.|

Texto e foto: Carlos Pinheiro - Diário de Leiria

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Futebol: Eficácia Marinhense garante vitória na Atouguia

Campo do GD Atouguiense, em Atouguia da Baleia
Árbitro: Fábio Piló.

GD Atouguiense  0
Rodolfo Granadas, Telmo (João Neto, 81’), Abel, Vítor, Jonathan, Vasco, Raul, Bruno Costa (c) (Ricardo, 61’), João Augusto (Nuno Doirado, 61’), Romeu e Pestinha.
Não jogaram: Camacho, Marco, Adriano e Micael Ferreira.
Treinador: Paulo Neves.

AC Marinhense  2
João Guerra, Fred Machado, Pedro Rodrigues, José Gomes, João Miguel, Leandro Gaspar (David, 88’), Bernardo Lopes, Carlos Alberto (Daniel Oliveira, 63’), Baixinho, Cedric Jorge e Ruben Coelho (André Taveira, 63’).
Não jogaram: Ruben, João Frazão, Marcelo e Eduardo Gil.
Treinador: Luciano Silva.

Ao intervalo: 0-1.
Golos: 0-1 Leandro (20’), Baixinho (85’).
Disciplina: Amarelo a Cedric (40’), Jonathan (50’), Vítor (57’), Leandro (67’), Daniel Oliveira (67’), Vasco (82’).

No passado domingo, Atouguiense e Marinhense defrontaram-se numa partida bastante disputada e que teve como vencedor a equipa que melhor aproveitou as oportunidades que teve.
O jogo começou num ritmo baixo, com ambas as equipa a estudarem-se mutuamente, mas com o Marinhense a ter uma maior posse de bola, contudo não conseguia criar situações de perigo.
Pertenceu ao Atouguiense a primeira situação de golo, com Raul e Romeu a aparecerem completamente soltos no interior da área, após cruzamento de Telmo, mas nenhum dos dois atacantes conseguiu finalizar.
Pouco depois, numa rápida jogada de contra-ataque, o Marinhense inaugurou o marcador por Leandro, que apareceu à entrada da área completamente solto de marcação, e atirou para o fundo da baliza de Rodolfo,
A equipa da casa sentiu este golo e não mais se encontrou até ao intervalo, acumulando sucessivos passes errados, que permitiam ao Marinhense controlar o jogo sem grandes sobressaltos.
Na segunda parte, o Atouguiense surgiu mais determinado em mudar o rumo dos acontecimentos e pressionou mais o seu adversário, tendo uma soberana oportunidade por João Augusto para empatar, mas o jogador da casa precipitou-se e rematou de primeira fora do alvo com apenas Guerra pela frente.
Pouco depois, Raul e Nuno Doirado ficam muito perto de marcar, mas viram os seus remates passar perto da baliza contrária.
Como no futebol o normal é que quem não marca acaba por sofrer, o Marinhense aumentar a vantagem por intermédio de Baixinho, num lance tirado a papel químico do que deu origem ao primeiro.
Por aquilo que fez o Atouguiense merecia ter chegado ao golo, mas a maior experiência dos jogadores da Marinha Grande justificou os três pontos, num jogo exemplarmente dirigido por Fábio Piló.

Texto e foto: Carolina Neves - Diário de Leiria

Futebol: Juniores do Marinhense ‘atropelam’ Caldas na segunda parte

Complexo Desportivo Quinta da Boneca, Caldas da Rainha
Árbitro: Ricardo Silva Franco (Lisboa). 
Auxiliares: Rui Correia e Vítor Correia.
Espectadores: 220.


Caldas SC     0   
Marco, Silvério, João Pedro, Paixão, Creio (Seixas, 45’), Batista, Mestre, Francisco (Araújo, 72’), Bernardo Silva, Ricardo, Santana (João Mendes, 67’).
Não jogaram: Edgar, Gustavo, Diogo Santos, Amaro.
Treinador: José Simões.

AC Marinhense        5
Gonçalo, João Teles, José Miguel (c), Dilan, Isaac, Fábio, Tomás Pereira (Pedro Rodrigues, 76’), Botas (António, 65’), Marcelo (Ricardo, 65’), Edgar, Vítor Duarte.
Não jogaram: Jorge Francisco, Penela, Luisão, Carpinteiro.
Treinador: Rui Bandeira.

 Ao intervalo: 0-0.
Golos: 0-1 Fábio (54’, g.p.), 0-2 Botas (62’), 0-3 Edgar (71’), 0-4 António (90+1’, g.p.), 0-5 António (90+3’).
Disciplina: Amarelo a Vítor Duarte (16’), Fábio (52’ e 84‘), Seixas (53’), Ricardo (81’), João Pedro (90’).

O AC Marinhense venceu o Caldas por 0-5 num jogo em que os golos só apareceram na segunda parte.
Enquanto o Caldas se remeteu a uma organização defensiva muito coesa, sustentada num bloco baixo, os forasteiros apresentaram um futebol de forte pendor ofensivo, suportado por uma pressão alta, apesar de ao longo da primeira parte, não terem conseguido traduzir as oportunidades em golo.
A meio do primeiro tempo, Fábio surgiu na área, sem marcação, mas enviou a bola ao poste. Ainda antes do intervalo, foi Bernardo Silva que, servido por Santana e no coração da área do Marinhense, foi superado pela acção do capitão José Miguel que ‘limpou’ o lance.
O segundo tempo iniciou-se com novo remate de Fábio a acertar novamente no ferro da baliza de Marco. Contudo, a construção da vitória do Marinhense teria início na jogada seguinte. Edgar progrediu dentro da área do Caldas e foi autenticamente ceifado por Seixas. Fábio, chamado a converter a grande penalidade, inaugurou o marcador.
O golo da tranquilidade começou nos pés de Isaac ao colocar o esférico em profundidade, na direcção de Botas. Dentro da área e com habilidade, fez passar a bola por cima de Paixão para apontar um golo de belo efeito. Posteriormente foi João Teles que ganhou em velocidade a Francisco e, dentro da área, ainda ultrapassou Creio para, já junto à linha de fundo, oferecer de bandeja o golo a Edgar.
Com as alterações promovidas por Rui Bandeira, o Marinhense ganhou nova força ofensiva e haveria de marcar mais dois golos nos derradeiros minutos da partida. Primeiro, quando Pedro Rodrigues, isolado, sofreu falta de João Pedro, com António a fazer o 0-4 na marca do castigo máximo. Depois, e em tempo de descontos, Dilan bateu uma bola longa para as costas da defesa adversária onde António, pressionado por Paixão e Batista, conseguiu levar a melhor e bisou.
A equipa de arbitragem, que se deslocou de Lisboa, efectuou um excelente trabalho.

Texto: Paulo Daniel - Diário de Leiria
Foto: Paula Marina

Iniciados: ‘Leões’ viveram segunda parte de pesadelo

Campo n.º 2 do Estádio Municipal da Marinha Grande
Árbitro: Pedro Narciso. 
Assistentes: Telmo Capitaz e David Domingos.

EAS Marinha Grande 1
Pedro Godinho, Diogo Lercas (c), Rúben Costa, Pedro Carreira, Alexandre Gonçalves, Diogo Codinha (Gonçalo Costa, 54'), João Paixão, Alex Ribeiro, António Oliveira, Rodrigo Nogueira, Gabriel Martins (Tiago Soares, 52').
Não jogaram: Ricardo Camarate, Tomás Ribeiro, João Lourenço, Pedro Gil.
Treinador: Joaquim Trindade.
Adjunto: Ricardo Caçador

SL Cartaxo 3
Alexandre Oliveira (Manuel Varela, int.), Vasco Redinha (Bernardo Tavares, int.), João Gaspar (Bernardo Durão, 33'), José Dias, João Marecos, João Lage, António Dias, Miguel Sousa (c), Rafael (Bernardo Soares. 61'), Bernardo Fonseca, Vasco Carvalho (João Oliveira, 67').
Treinador: João Maximiano.

Ao intervalo: 1-0.
Golos: 1-0 Diogo Codinha (19'), 1-1 Miguel Sousa (44'), 1-2 José Dias (50'), 1-3 Bernardo Durão (61').
Disciplina: Amarelo a José Dias (22').

O jogo que decidia a liderança isolada do campeonato, teve duas partes completamente distintas, com a EAS Marinha Grande a ser surpreendida pela boa reacção do SL Cartaxo na etapa complementar, perdendo assim terreno na parte cimeira da tabela classificativa.
A jogar em casa, a EAS Marinha Grande entrou melhor no jogo, e logo aos 2', António Oliveira aproveitou uma bola na área para rematar colocado, levando a bola a bater no poste da baliza de Alexandre Oliveira.
A equipa da casa estava melhor no jogo, e com uma pressão alta ao portador da bola, praticamente não permitia ao SL Cartaxo pensar o jogo. Ainda assim, com o passar dos minutos, a equipa de João Maximiano foi conseguindo libertar-se da teia adversária, e, aos 17', Miguel Sousa teve uma boa oportunidade de golo, após cruzamento da esquerda.
Na resposta, lance de Rodrigo Nogueira que ganhou em velocidade na zona central, e à saída de Alexandre Oliveira, desviou a bola deste, e Diogo Codinha, sem oposição, fez facilmente o 1-0 para a EAS Marinha Grande.
Em desvantagem, o SL Cartaxo procurou reagir, mas foi privilegiando o futebol directo, algo que facilitava a tarefa da defesa dos ‘leões’.
A etapa complementar começou com o SL Cartaxo mais objectivo em termos atacantes, e não foi preciso esperar muito para chegar ao empate. Aos 44', Miguel Sousa, na transformação de um livre directo, ainda bastante longe da baliza de Pedro Godinho, fez um grande golo e relançou a partida.
Pouco depois, aos 50', na sequência de um canto, o possante José Dias ganhou nas alturas e fez o 1-2 para o SL Cartaxo.
A equipa da casa sentiu - e de que maneira - os golos sofridos e a partir daqui, nunca mais conseguiu mostrar a intensidade e qualidade da etapa inicial. O SL Cartaxo era então dono e senhor do jogo e, aos 61', num remate de bastante longe, Bernardo Durão surpreendeu Pedro Godinho e fez o 1-3 final.
Boa arbitragem de Pedro Narciso, num jogo em que, por vezes, os jogadores e adeptos procuraram complicar.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...